Plásticas Especiais

 

Plásticas Especiais

Plástica na adolescência

 

 

Nesta fase da vida ocorre uma avalanche hormonal, alterações na forma e silhueta corporal, os sentimentos ficam aflorados e uma possível insatisfação com o seu visual podem ocorrer. Com isso, há uma procura crescente destes jovens pela cirurgia plástica, sendo a de nariz, orelha abano, aumento de mamas e lipoaspiração as mais comuns.

 

Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, através da pesquisa realizada pelo Gallup, em 2004 no Brasil, foram realizadas mais de 40.600 cirurgias estéticas em jovens entre 14 e 18 anos.

 

Cuidados gerais: os jovens candidatos a cirurgia plástica devem fazer exames pré-operatórios e seguir todos os cuidados orientados pelo cirurgião plástico.

 

Idade correta para a realização das cirurgias:

– nariz: a partir dos 15 anos;

– orelha abano: a partir dos 6 ou 7 anos;

– lipoaspiração: a partir de 17 ou 18 anos;

– aumento de mamas: depende de quando ocorrer a primeira menstruação, através da avaliação do crescimento ósseo e de fatores genéticos;

– redução de mamas: a partir dos 16 anos.

 

É importante respeitar o desenvolvimento quase completo de cada estrutura anatômica antes de abordá-lo cirurgicamente. Seguindo estas orientações, a cirurgia plástica é uma excelente ferramenta na melhora da auto-estima dos jovens.

 

 

Cirurgia plástica pós-gestação

 

 

O período gestacional é um dos mais importantes na vida da mulher. Poder gerar uma criança é um sonho de quase todas as mulheres. Durante a gestação ocorrem muitas alterações no corpo da mãe, o útero progressivamente vai aumentando de tamanho e expandindo a pele do abdome.

 

 

A musculatura abdominal vai se afastando da linha média e geralmente deixa uma fraqueza residual neste local. Podem surgir estrias por rompimento de fibras elásticas da pele no abdome.

 

Surge também a “linha nigra” (linha negra) na pele da região mediana do abdome que regride após o término da gestação.

 

As mamas aumentam de volume e as aréolas ficam escurecidas. Há um grande aumento de peso corporal associado.

 

Após o nascimento do bebê, a mulher entra num período chamado puerpério e segue com a amamentação.

 

Geralmente, após 8 a 10 meses já houve regressão de quase todas estas alterações anatômicas.

 

Dependendo de cada caso e da necessidade da mulher de ter o seu corpo próximo ao de antes da gravidez pode ser necessário uma cirurgia plástica.

 

O ideal é aguardar de 10 a 12 meses após o término da gestação para fazer uma cirurgia plástica.

 

Cirurgias freqüentes:

– mamoplastia (pode ocorrer ptose mamária ou involução pós-gravídica das mamas);

– abdominoplastia (para retirar o excesso de gordura e flacidez de pele e fechamento da musculatura mediana);

– associação mamoplastia + abdominoplastia;

– lipoaspiração isolada ou em associação com os procedimentos acima;

– tratamento de estrias.

 

Durante a gravidez deve ser usado cremes hidratantes pelo menos 2 vezes por dia em mamas e abdome, fazer atividade física com orientação profissional (hidroginástica é uma boa dica) e ter uma alimentação saudável a base de frutas, verduras, proteínas e carboidratos. Assim, as alterações durante a gestação vão ser minimizadas e serão mais fáceis de serem resolvidas com cirurgia plástica caso seja necessário.

 

 

Ocidentalização das pálpebras

 

 

A ocidentalização das pálpebras tem sido uma das cirurgias plásticas mais procuradas pelos jovens dos países orientais e por orientais que vivem no Brasil. Influenciados pelo padrão ocidental há uma grande procura por esta cirurgia.

 

Os orientais têm ausência do sulco palpebral superior (ausência de dobra na pálpebra superior) que geralmente fica 7 a 8 mm da borda dos cílios, excesso de bolsas de gordura na região lateral da pálpebra superior e epicanto medial (prega de pele na parte medial do olho).

 

Portanto a cirurgia de ocidentalização das pálpebras consiste em confeccionar um novo sulco nas pálpebras superiores, tratar o excesso de gordura lateral dessas pálpebras e tratar a prega medial dos olhos.

 

A cirurgia é simples e deve ser executada mantendo a simetria perfeita das pálpebras e a harmonia facial.

 

Pode ser realizada com anestesia local com ou sem sedação.

 

 

Cirurgia plástica no homem

 

Há uma crescente procura pela cirurgia plástica estética pelos homens. A onda metrossexual, a longevidade conquistada pelos avanços da medicina moderna e a necessidade de ter uma aparência mais saudável e jovial no competitivo mercado de trabalho foram os principais responsáveis pelo aumento da freqüência dos homens nos consultórios de cirurgia plástica.

 

As cirurgias mais realizadas são: nariz, pálpebras, lipoaspiração, implante de cabelos, orelha abano, aumento de queixo e face. Existe implante de silicone também para a ala masculina, pode-se aumentar e definir melhor a região peitoral, abdominal, braços (bíceps), panturrilhas e glúteos. Alguns destes implantes de silicone foram especialmente desenvolvidos para os homens, geralmente quem mais os utilizam são esportistas com idade entre 20 e 35 anos que têm dificuldade de desenvolver a musculatura.

 

As diferenças e as particularidades em relação à cirurgia plástica na mulher são: os homens têm o liminar de dor menor, ou seja, são mais sensíveis a estímulos dolorosos e necessitam de mais analgésico no pós-operatório; têm maior tendência ao sangramento durante a cirurgia (são mais comuns hematomas em homens); têm menor tempo disponível para afastar-se de suas atividades profissionais no pós-operatório e são menos exigentes e mais satisfeitos com o seu novo visual.

 

Além da cirurgia plástica, eles recorrem à medicina estética com os mesmos objetivos, sem necessitar alterar sua rotina e seu trabalho, são freqüentes o uso de toxina botulínica, bioplastia, cremes esfoliantes e outros diversos tratamentos.

 

Plástica íntima

 

 

Muitas mulheres estão insatisfeitas com a forma e a aparência de suas genitálias, prejudicando o desempenho sexual e a parte emocional. Evitam colocar calças apertadas, biquínis e roupas esportistas. Chegam a evitar até se mostrar ao parceiro, prejudicando o relacionamento.

 

São várias alterações anatômicas na genitália feminina de fácil correção com a cirurgia íntima. As pacientes devem procurar um cirurgião plástico especializado para informar-se melhor sobre o assunto e solucionar o problema.

 

As alterações mais comuns são: hipertrofia (aumento) de pequenos e grandes lábios da vulva, acúmulo de gordura no púbis (monte-de-Vênus), escurecimento de pequenos lábios, perda de pêlos no púbis, flacidez dos grandes lábios (idade mais avançada), alargamento vaginal e mamilos invertidos.

 

Para todas estas alterações são possíveis correções cirúrgicas, inclusive algumas delas com apenas anestesia local e retorno imediato ao trabalho.

 

 

 

 

 

Palavras semelhantes: cirurgia plástica, beleza, rejuvenescimento, medicina estética, saúde, auto estima, mamas, lipoaspiração, mamoplastia, silicone, lifting, lábios, laser, prótese de silicone, cirurgia íntima, nariz, cirurgia de barriga, cirurgia de orelha, bioplastia, peeling, pele, celulite, estrias, clique aqui.

 Web  www.guiadaplastica.com.br